Jayla Venancio

How to Get Away with Murder: Quem é o assassino?

19:58:00


  How to Get Away with Murder é um nome tão grande, que a partir de agora chamarei pelo mesmo apelido dado pelos fãs da série: #HTGAM. Mais fácil, rs.

   Não tem como falar desta série, sem falar da representação física da perfeitação, Viola Davis. É realmente impossível. Não tem como. Aliás, vamos iniciar o post sendo abençoados pela deusa:


Pronto, podemos continuar! Annalise Keating, advogada criminal e professora de uma renomada faculdade de direito, é uma mulher dependente alcoólica que carrega várias feridas acometidas pela vida, mal curadas. Tais feridas são tão profundas que afetam toda sua rotina, e ela nem vê.

A começar pela escolha de marido. Seu marido, que antes era seu psicólogo, se aproveita da fragilidade emocional de Annalise, para se beneficiar, enquanto se envolve com sua amiga e companheira de profissão, Bonnie. Aliás, a história de Bonnie é tão complexa quanto a vida de Annalise. Até a terceira temporada, você presume que toda desgraça ocorrida com todos os personagens da série, infelizmente tem o dedo de Annalise. E não é qualquer dedo não, é dedo podre! 

Bonnie teve sua voz desrespeitada e desqualificada perante um tribunal inteiro, por Annalise que defendia seu agressor. Para desencargo de consciência, Annalise lhe oferece estudos e oferta de trabalho em seu escritório de advocacia. Viu como tem dedo podre da Annalise em tudo? 

   No entanto, apesar do foco ser Annalise, e Viola com toda sua mágica conseguir atrair tanta atenção pra si, em torno dela, temos as vidas dos estudantes que correm paralelamente á dela, e que no final de tudo, se ligam entre si.


   Wes Gibbins é um exemplo grotesco (e ao mesmo tempo genial!) disso. A criatividade dada pelo diretor, em ligar a morte de Wes com a ganância capitalista de Laurel, ácaba surpreendendo qualquer pessoa que assista a série. Apesar da curta participação do ator (podemos chamar ele de brasileiro?) Alfie Enoch durante a primeira e parte da segunda temporada, foi o suficiente para conquistar muitos fãs ao redor do mundo. Nosso amado "brasileiro" poderia ter ficado vivo pra nos agraciar com sua atuação, não é?


   Falando em Laurel, eu tenho receio em confessar que dos personagens, é a que achei mais "chata". Filha de empresário assassino, rica e latina, Laurel não se encaixa em todos os esterótipos xenofóbicos aclamados pelos norte-americanos, no entanto se encaixa bem no esterótipo de mimada. Só não o julgaria mais mimada, pelo fato de ter lidado com um pai psicopata que se aproveita do dinheiro que tem para conseguir o que quer. No entanto, seu relacionamento afetivo com Frank se tornou uma história fidelizada no drama. Laurel já não é mais nada, sem Frank. E Frank perdeu a imagem de independente e audacioso. 


   Pulamos assim, para o casal mais amorzinho da série: Connor e  Oliver. Oliver com seu jeito ingênuo, ao passar a ser funcionário de Annalise, prova que a ingenuidade é apenas confundida com timidez. De ingênuo, não tem nada. 


   A história do Oliver deve ser tratada com a devida delicadeza que já lhe é dada. Ao ator Conrad Ricamora, lhe foi dada a responsabilidade de expor a realidade de quem tem HIV, tema importantíssimo para se estudar e se conhecer nos dias de hoje. A quebra do estigma dado aos gays quanto a doença, foi necessária, e tal responsabilidade caiu como luva ao personagem Oliver. Quanto a Connor, é visível a mudança de comportamento e maturidade ao longo do Drama. Connor inicia a série sendo um adolescente calouro pegador, e termina se casando e assumindo um compromisso sério com Oliver. Romântico e fofo, neh? 


   Por fim, ninguém menos que Michaela, interpretada pela princesa (porque rainha só Viola), Aja Naomi. Confesso que após Annalise, é minha personagem principal. 

   Michaela se destaca por seu comprometimento ao curso, e sua força de vontade. Ela é daquelas que se mantém focada nos seus projetos pessoais, não importa o que acontecer. No entanto, é provado que sua fraqueza são seus amigos, pois todas as vezes em que Michaela perdeu o foco e se colocou em risco, foi pra salvar amigos. Filha de pais adotivos que negligenciaram sua educação, Michaela inicia a trama noiva de um homem rico, se envolve com Asher durante a série, termina com ele e quanto a seu futuro afetivo, só Deus e o diretor sabe o que pode acontecer. Única certeza que temos, é de que Michaela vai se formar com honras, e se tornar a nova Annalise de tão boa que é no que faz. 


   Viola Davis em HD já é motivo o suficiente para maratonar essa série. Não há necessidade de se implorar pra que veja algo tão bom, não é verdade amigos? 

Leia Também:

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Facebook