RESENHA - Sem Esperança


Olá leitores, tudo bem!? Vamos continuar com o especial CoHo e hoje é dia da resenha do 2º livro da história de Holder e Sky. Sem Esperança conta a história pelo ponto de vista de Holder, e para mim esse foi muito mais profundo, emocionante e melhor que o primeiro... Tenho um amor por esse livro e pelo Holder enorme! E apesar de não ter pontas soltas, eu desejo ainda ter mais histórias desses dois para ler...

Título: Sem Esperança (Hopeless #02)
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Número de Páginas:  320
SkoobAdicione
Sinopse: "Assombrado pela culpa e pelo remorso por não conseguir salvar Hope nem Less, Holder desenvolveu uma personalidade agressiva. Mas, quando finalmente se depara com Hope depois de tantos anos, não poderia imaginar que o sofrimento seria ainda maior após o reencontro. Em Sem esperança, Holder revela como os acontecimentos da infância de Hope, que agora se chama Sky, afetaram sua vida e sua família, fazendo-o buscar a própria redenção na possibilidade de salvá-la. Mas é apenas amando Sky que ele finalmente será capaz de começar a se reconciliar com si mesmo."

"Nunca tinha olhado para frente antes. Só olhava para trás. Penso demais no passado e penso no que deveria ter feito e em tudo o que fiz de errado e nunca olhei para frente na vida, nenhuma vez. Ficar com ela me fazia pensar no amanhã e no dia depois de amanhã e no dia seguinte e no ano seguinte e na eternidade. Preciso disso agora, pois se eu não abraçá-la de novo… vou terminar olhando para trás mais uma vez, deixando o passado me engolir completamente."

Foto por Paloma Machado - Dreams & Books
Instagram: @lominha_machado
Sem Esperança foi o livro que mais tive receio de ler, depois de ler Essa Garota fiquei com medo de livros com a mesma história contada por outro personagem, pensei que seria desnecessário também e não queria ler, mas era da Colleen, e como já disse várias vezes até a lista de supermercado dela eu leria. E no fim foi surpresa, o livro é muito mais do que imaginei, e considero ele até melhor que o primeiro! A carga emocional nele é muito maior que o do primeiro, e minha vontade era de abraçar o Holder e não soltar mais, dizendo que tudo ficaria bem, eu queria desesperadamente consolar ele. Em Um Caso Perdido como ele não é o foco, é fácil esquecer que ele sofreu também, mas em Sem Esperança vem aquela avalanche de sentimento... 

"Quando um garoto ama uma garota, especialmente a irmã, deveria saber o que a faz sorrir e o que a faz chorar. Mas eu não sabia. E não sei. Então me desculpe, Less. Desculpe mesmo por ter deixado você fingir que estava bem quando era óbvio que não estava nada bem."

No livro conhecemos um Dean Holder lá pelos seus 6 anos que viu sua via mudar, sua vizinha e melhor amiga - e amor eterno - foi levada por um desconhecido. A Culpa caiu sobre seus ombros pois ele viu a menina Hope entrar no carro, mas ele também era apenas uma criança, até tentou avisar os adultos mas ninguém se preocupou. Ele nunca se esqueceu disso, e passou a vida procurando Hope em todas meninas que ele conhecia. Como se não fosse o suficiente sua irmã gêmea Less cometeu suicídio e Holder mais uma vez se sentiu culpado, e dessa vez ele esta sozinho e se sentindo responsável por ter sido incapaz de cuidar das duas pessoas que ele mais amou na vida. Após uma briga, Holder é obrigado a ir morar com o Pai por um ano, mas quando voltou, Holder encontrou Sky e a partir dai temos todos os acontecimentos já conhecidos de Um Caso Perdido. Nesse livro o romance, e o drama envolvendo a Sky fica um pouco de lado, e o foco é a dor e a culpa que Dean Holder carrega.

"Não fico sentado aqui me perguntando se algum dia irei assimilar sua morte. Fico aqui me perguntando quando é que vou parar de vê-la morrer"

Foto por Paloma Machado - Dreams & Books
Instagram: @lominha_machado
Uma das coisas que mais gostei no livro foi a presença - mesmo sem estar presente - de Less, me emocionei muito com as cartas de Holder para Less, e o peso das palavras que ele escrevia, as descobertas, os sentimentos e a culpa era algo tão puro e real. É muito emocionante você ler os pensamentos de Holder daquela forma tão sincera, isso o tornou muito mais real, ele não era um personagem forçado, ele não era um bad boy violento, e tudo isso é bem explicado dando motivação a todas as atitudes dele, e faz você perceber que ele é só um garoto tentando sobreviver com tudo o que aconteceu, e é muito lindo ele contando para Less que encontrou Hope, eu não segurei as lágrimas.


"Eu amo a Hope desde que éramos crianças. 
Mas esta noite? 
Esta noite eu me apaixonei por Sky."

É interessante também nesse livro a visão que temos de como a perda da Hope afetou a família de Dean e Less, e como a morte de Less afetou a Mãe de Holder. Fica claro que a Sky foi mais uma vez um ponto de mudança para eles, Hope está ligada a família Holder. Também vimos a interação de Holder com Breckin e seu melhor amigo Daniel - posso colocar o Daniel num potinho para mim? - esses personagens trouxeram uma leveza mais uma vez para essa história tão pesada.

“Sky aproxima-se voluntariamente e sentir a sua vontade de me abraçar é a melhor sensação que tive no ano inteiro. Tudo que fez foi retribuir meu abraço, mas mal sabe ela que acabou de injetar um monte de vida de volta em mim.”

Foto por Paloma Machado - Dreams & Books
Instagram: @lominha_machado
Sobre a diagramação, mais uma vez a Galera Record acertou ao fazer algo simples, mas ideal para o livro. Sobre a capa, quem não conhece um pouco melhor a CoHO pode ter achado ela ruim, afinal o modelo da capa não tem absolutamente NADA a ver com Holder, mas vale pois é uma homenagem ao parceiro de CoHo, para quem não conhece o modelo da capa é Griffin Peterson, o cantor que deu vida as musicas de Talvez Um Dia e também de outras músicas inspiradas nos livros. Não encontrei nenhum erro de escrita, mas como disse anteriormente na resenha de Um Caso Perdido a tradução pode tirar alguns trocadilhos, por exemplo, o nome do livro em inglês e a tatuagem que Holder tem no braço está escrito "Hopeless", que foi traduzido como "Um Caso Perdido" porém a tradução literal seria "Sem Esperança" ou "Perdendo a Esperança" que seria um trocadilho sobre ele perder a Hope (Esperança).

"Eu costumava pensar que a melhor parte de mim havia morrido com Less, mas a melhor parte de mim está bem na minha frente agora."

Enfim, eu pensei que esse livro seria chato e repetitivo, mas não, ele te envolve, te prende contando a mesma história de maneira diferente. Mais uma vez é uma história de perdas, culpas, tragédias, encontros e perdão. Colleen Hoover conseguiu mais uma vez. Para quem gostou de Um Caso Perdido, Sem Esperança é leitura mais que obrigatória.

"Ela é minha graça salvadora. Minha esperança. Minha Hope. E eu nunca mais vou deixa-la sozinha."


Tecnologia do Blogger.