RESENHA - Adeus, Promessas

Olá, leitores! Tudo bem?
Hoje eu venho com a resenha do livro Adeus, Promessas, uma das minhas leituras de julho. 

Título: Adeus, Promessas
Autor: 
Kristin Halbrook
Editora: V&R (Plataforma 21) 
Número de páginas: 296
Skoob: Adicione



Sinopse:
Um menino está morto. Outro está ferido. E, aparentemente, a culpa é de Kayla.

Ela presenciou algo que não devia. Mas não contou nada para ninguém. Ninguém sabe o que realmente aconteceu naquela noite: o porquê de ela estar dirigindo um carro que caiu numa vala depois da festa de sua melhor amiga; do que viu nas horas que antecederam o acidente, e da promessa que ela fez para sua amiga Bean antes de sair de férias.

Agora, Kayla está voltando para casa para terminar o Ensino Médio. Se ela ficar calada, pode até recuperar a sua antiga vida de volta. Mas, se contar a verdade, corre o risco de perder tudo – e todos – que já amou na vida.


Adeus, promessas é um romance emotivo e provocante sobre uma garota que precisa decidir entre o silêncio ou admitir ter sido testemunha de uma terrível agressão. Uma narrativa que trata dos limites entre o segredo e a mentira em uma sociedade predominantemente machista.


"Ensinam o medo a nós, meninas." 


Gosto de personagens que sofrem ou sofreram algo terrível em suas vidas. Gosto de poder ler suas histórias e poder depois, ter a certeza que não importa quão fundo no poço você chegou, sempre há como retornar. 


Gosto de livros que me fazem pensar, que me fazem deitar a cabeça e olhar para o teto por horas relembrando a história e pensando em hipóteses, juntando as peças e trilhando mentalmente novos caminhos. 


Gosto de personagens que me ensinam algo. Gosto de personagens empáticos e incríveis que me fazem ter esperança na humanidade, por que, sim, há pessoas incríveis assim espalhadas por aí. Só é necessário ter olhos atentos e livres de preconceito para encontrar.  

Foi fácil gostar de Adeus, Promessas. Esse livro junta todos elementos que me agradam, como os citados acima, numa narrativa fluida e envolvente. O livro escrito por Kristin Halbrook não é nada daquilo que eu esperava e é muito mais do que eu poderia imaginar. 

Um livro surpreendente, encantador e tocante sobre amizade, amor, lealdade. Um livro que, acima de tudo, te faz repensar o que é mais importante para você. E quanto valor você está dando para coisas que, afinal, não são tão importantes assim. 

"Lar é onde você pode viver em paz consigo mesmo."


Instagram @DreamseBooks
Uma das coisas mais incríveis desse livro é ver a história desse ponto de vista. Já li vários livros com essa temática, mas, nunca desse ponto de vista. E a experiência não poderia ter sido mais incrível! 

Fiquei bem surpresa com o desenrolar desse livro e com a maneira como a autora conduziu a história. Como eu já disse, ele é muito diferente do que eu esperava, de um jeito totalmente positivo.  

Você vai se encantar com a escrita da autora. É aquele tipo de escrita que te prende sem você perceber. Você vai lendo e quando se dá conta, está lendo a nota da autora. Ele não te dá chance de fazer pausas. 

A história é tocante, você vai se emocionar em várias partes dela e vai querer entrar nas páginas e dar um abraço bem apertado em Kayla e Bean. (E vai querer chutar outros personagens). Você também vai querer roubar o Noah e nunca mais devolver. Ele é meu mais novo crush literário! 

A autora está de parabéns pelos personagens criados. Cada um é encantador (ou não) a sua maneira e suas singularidades e personalidades são muito bem trabalhadas.  

O livro é narrado intercaladamente entre Primavera e Outono. As páginas são amareladas, as letras são pequenas, mas, de um jeito ok e a capa é um arraso! 

"Você não pode permitir que os outros te afastem do que é seu."

Se está buscando um livro que te faz pensar, que te ensina algo e que te apresenta personagens que você pode se identificar e amar; não precisa buscar mais. Você já encontrou, agora é só ler e crescer junto com Kayla. 

"Mesmo que eu pudesse esticar meu braço por quilômetros, não conseguiria alcançar as crianças que fomos um dia. 
- As estrelas eram diferentes naquele tempo. Mais brilhantes. Agora, perderam o brilho. 
- Você não perdeu o seu." 
Tecnologia do Blogger.