RESENHA - Joana e Maurício

Olá leitores! Tudo bem?

Título: Joana e Maurício
Autora: Igraí
nne Marques
Número de páginas: 160
Editora: Buriti
Fanpage: Curta
Skoob: Adicione

"Eu sinto sua falta.
Por favor, pare de gritar silêncios."

Sinopse:
 A história de um amor perdido no tempo, um amor que, sim, pode ser medido em palavras. Joana e Maurício são duas pessoas pertencentes a realidades sociais distintas, inseridas no meio de uma guerra que jamais é datada. A única semelhança entre eles é a idolatria pelo poema e, diante disso, os dois, ainda jovens, começam a trocar cartas.
Cartas que mais parecem desafios, mas que com o tempo se tornam a narração perfeita para aqueles que nunca souberam conversar como a sociedade exige. Joana é a mulher que pode ser definida como a incógnita: ora feminista, ora conformada, talvez ela seja a clássica personificação da bipolaridade feminina.
Maurício, por outro lado, é o idealista cego que desiste inúmeras vezes pelo caminho – só para perceber que é covarde demais para, simplesmente, desistir.


"Eu tento fugir. Mas, eu sempre me alcanço."

Conheci a Igra na Bienal. Fui aos autógrafos dela e logo já estávamos conversando e firmamos parceria. 

O que me fez querer ler J&M em primeiro lugar foi o fato da história ser toda contada através de cartas. Eu amo cartas! Já li alguns livros escritos somente assim e todos me agradaram. E então, veio Joana e Maurício.


A segunda coisa que me fez querer ler esse livro foi a capa, confesso. Me encantei por essa capa que é simples, mas, lindissima! Esse livro tem duas capas, a maioria é a amarela e só há 15 exemplares da rosa. (O meu exemplar é rosa, chupa!)


Falando sobre a aparência do livro... Como eu já disse: a capa é linda! As folhas são amareladas e as fontes dos meses são muito fofas! O livro está lindo em todos aspectos. 


"Não é culpa sua. 
Mas, talvez seja se você escolher ser muda em um mundo que implora por voz."



Assim que chegou a vez de ler J&M eu o peguei e a vontade era de não largar mais!
O livro me envolveu e Tive que me controlar muito pra dividir a leitura em etapas e ler um pouco a cada noite antes de dormir e não, de uma vez só.

“Eu quero dizer adeus, mas meus dedos não me permitem.”

Se me pedissem pra definir J&M eu usaria apenas uma palavra: poético. 
E apesar de ser uma palavra tão pequena, seria mais que suficiente. Por que esse livro exala e transborda poesia. 


Mesmo meses após ter concluído a leitura, não consigo falar sobre poesia sem que esse livro venha a minha mente. 


Eu o desfrutei e ele deixou um gosto amargo de poesia em minha boca mesmo após tantos dias e livros e sabores esse gosto permanece. E está aqui, as vezes é ofuscado para outros, mas, permanece paciente aguardando o momento em que ele é o ofuscador. E acredite, isso acontece mais vezes do que você possa imaginar. 


"A prisão das palavras é a pior cela que há nesse mundo. 
Não ter voz é não ter chão." 

A escrita da autora com certeza é o ponto forte desse livro. Podia ser só mais uma história de amor, podiam ser só mais algumas cartas ou só mais um livro. Poderia, mas, não foi. 

A forma de escrever da autora Igraínne, cheia de frases tocantes, marcantes e reflexivas acariciam a alma. Suas metáforas se fixam no coração. 
Essa é uma ótima dica para os apreciadores da língua, os apreciadores de uma escrita madura e cativante. Se você deseja que o gosto amargo de poesia também se fixe em sua língua, leia Joana e Maurício! 

 
"Eu me perdi em escombros.
Você se recompôs em cicatrizes." 
Tecnologia do Blogger.