RESENHA - Graffiti Moon

Olá leitores! Tudo bem?
Hoje eu venho com a resenha do livro Graffiti Moon, cedido em parceria com a editora Valentina. Confiram:

Título: Graffiti Moon
Autora: Cath Crowley
Número de páginas: 240
Editora: Valentina

Skoob: Adicione
Comprar: Aqui

“Ás vezes, a memória não pode ser explicada em palavras.”

Sinopse:
Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro.

Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa?

O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.

A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida.

Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.

“E todos os pássaros daquele muro caem do céu. Eu os vejo caindo de barriga para cima. Uma tempestade deles cobre o chão. 
Mais tarde, vou pintar o céu vazio e os pássaros caídos. Vou pintar, e saber que pior que estar preso num jarro é não estar em lugar nenhum.”

Foto tirada pela blogueira. Instagram @dreamsebooks
Se você só ler a sinopse de Graffiti Moon pode ter a errada impressão que ele é previsível e clichê. Na sinopse você consegue pescar muita coisa, mas, acredite, não é nem de longe o suficiente. Essa é somente a ponta do iceberg.
Comecei a ler GM em busca de uma leitura mais leve, pra poder aliviar . As minhas leituras anteriores tinham sido mais densas e complicadas e precisava respirar um pouco. Mas, não encontrei o que buscava no livro.
Não de uma forma negativa e sim, de uma muito positiva! Graffiti Moon é engraçado em muitas partes e bem leve. Ao mesmo tempo em que mostra uma realidade cruel. Joga na nossa cara uma história que poderia ser real. E que é a história de muitos jovens.
Com certeza você conhece pelo menos uma pessoa que abandonou a escola, que teve que trabalhar cedo, que fez escolhas erradas e etc. Isso não é algo exclusivo de livros. Muito pelo contrário, está a nossa volta. É uma realidade que nos cerca sempre.
E esse foi um dos pontos que mais me atraiu ao livro. A autora conseguiu passar uma bela mensagem sobre valores, escolhas e oportunidades, sem se tornar algo chato ou parecido a levar um belo sermão. Ao mesmo tempo em que, conseguiu fazer seus leitores refletirem sobre sonhos, medos, metas, ideais, etc.
“Lembre que
O amor
Envolve com os dedos o seu coração.
E o segura
Submerso.
Lembre-se disso
Quando a próxima garota sorrir.”

GM é um livro acima de tudo, sobre amor. Amor ao próximo, amor a família, amor entre amigos e também o amor romântico.
É tocante. Passa muitas emoções e sentimentos. É poético e com certeza, muito inspirador. 

Passa uma mensagem tão positiva! Dá vontade de levantar e ir fazer algo para ajudar outros. Ter uma porcentagem de ajuda na mudança do mundo, para melhor. Terminei Graffiti Moon com lágrimas nos olhos e um sorriso no rosto.
Instagram @dreamsebooks
Ah, quem gosta de arte vai se apaixonar por esse livro! Falando em arte, essa edição, em si é uma obra de arte! A capa é lindíssima, as páginas são amareladas e as letras tem um ótimo tamanho. No começo de cada capítulo há uma mancha de tinta, com o nome do narrador. O livro é narrado pelo Poeta, pela Lucy e pelo Ed.
É um livro que, com certeza, eu recomendo muito! É uma daquelas leituras obrigatórias. Todos precisam ler, pra ter uma noção de quão incrível é! Com certeza, entrou para a minha lista de favoritos! <3
Aconselho vocês a embarcarem junto com os personagens em um noite de muita arte, reflexões e amor! Não vão se arrepender.
 "Pintei um fantasma preso numa garrafa. Dei um passo para trás, para olhar o fantasma, e percebi que o triste não era que ele estava ficando sem ar.
O triste era ele ter ar suficiente para a vida toda naquele espaço tão pequeno."


Tecnologia do Blogger.