RESENHA - A Parteira


Título: A Parteira
Autor: Adenildo Lima
Editora: Da Gente
Número de páginas:122 
Skoob: Adicione 


 Sinopse: 
"A parteira, a meu ver, é o Grito Social mais urgente, depois de Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto; e Poema Sujo, de Ferreira Gullar, que li até hoje. É uma narrativa artisticamente trabalhada! Modestamente eu sei reconhecer o valor de uma obra literária. Este poema é de uma riqueza inigualável! Em todos os aspectos, parece que nasceu do jeito que se lê, não me parece ter um desleixo, um excesso."
Dias Miranda Escritor e dramaturgo


**
"De lá ou de cá, deixe-me começar!"
Foto que tirei quando o livro chegou e postei em meu instagram.  



E assim o autor começa esse livro incrível! A parteira é um dos meus xodós. Quem acompanha o D&B há alguns meses sabe que fizemos nossas primeiras quatro parcerias na mesma semana. E esse livro foi o primeiro a chegar pra mim. Antes mesmo de lê-lo já o amava e agora, após a leitura esse amor se multiplicou.




O livro é escrito todo em rimas. No começo isso pode dificultar a leitura. Mas, logo dá pra acostumar. São quatro contos com estórias diferentes, porém, com a mesma realidade em comum. Uma realidade triste, dura. Uma realidade de dificuldades, de descaso, de abandono.  E o livro a mostra claramente. 

“Um aborto, uma velha criança grávida.
Um pai que mesmo vivo, estava morto.
A vida é tão rara, a vida é pálida!
Não me permitam forçar o aborto.
Tem uma criança querendo nascer.
E uma mãe morrendo de fome, sem nome!
O vivo não querendo morrer, ser!
Ser alguém, ser um ser.”

A parteira é um tapa na cara. É um pedido de socorro. É uma crítica a sociedade.

“Ninguém precisa de apenas terra.
O Brasil é tão rico, a cabra berra!
Uma reforma nesta educação,
Tirar um pouco, tanta corrupção!
Pra que ter terra se não há comida?
Saúde! Educação! Isso vigora a vida.”

É um livro que abre os olhos e o coração. Nos faz vez melhor, ser menos egoístas e mais empáticos. Que nos faz chorar com o choro dos personagens, sofrer com o sofrimento.

“A  noite é uma criança avassaladora,
Acolhe a todos sem preconceito.
Avança com o frio, mas, é acolhedora.
O que a sociedade deixa nos rejeitos,
Ela abraça com sua alma, docemente.
Doce e perigosa no esquecimento,
Ela só tem o alimento da mente
Quem, em lágrimas, tormento!
Quando o eu se fecha e a chuva cai,
As lágrimas se misturam com a dor,
O olhar perdido não sabe pra onde vai.”

Não tenho palavras pra descrever o impacto que esse livro me causou. Depois da leitura, custei a conseguir dormir e quando o fiz, revivi a estória várias e várias vezes em sonhos.

Comecei essa resenha diversas vezes e sempre chegava ao ponto de não saber mais o que dizer. E eu ainda não sei. Com certeza é uma das resenhas mais difíceis que já fiz.  

A parteira é diferente de qualquer livro que já li antes. É único. É perturbador. Muito perturbador. E isso é o que me fez amá-lo mais ainda.
É real, é duro, triste, verdadeiro. É forte, é incrível, genial. Eu poderia tentar escrever por horas e mesmo usando todos os adjetivos existentes, não conseguiria descrevê-lo e mostrar o quanto é maravilhoso.

Só peço que leiam. Leiam, releiam, emprestem aos seus amigos. Todos precisam ler esse livro, pelo menos uma vez na vida. É uma leitura obrigatória. Uma obrigação que farão com prazer.

“E naquele caminho tinha espinhos,
Mas, os seus pés eram calejados.
 Mulher como pássaros nos ninhos,
   Acreditava que podia voar a nado”. 




Tecnologia do Blogger.