RESENHA - O Azarão

     Do mesmo autor de A menina que roubava Livros, O Azarão é o primeiro livro de uma trilogia que você provavelmente não sabia da existência antes desta postagem.
     Antes de começar a resenha eu vou logo avisando: Não comece a ler esperando algo similar a A menina que roubava livro, a história e a forma de contá-la são completamente diferentes, ou seja, é bom iniciá-la de mente vazia e sem qualquer expectativa.

     Sinopse: Antes de tornar-se mundialmente conhecido, Markus Zusak escreveu uma trilogia de sucesso que somente agora está sendo publicada no Brasil. O primeiro título chama-se O Azarão. Fãs de A menina que roubava livros não podem deixar de ler os romances que inciaram a carreira estelar desse autor. Narrado em primeira pessoa, o livro apresenta a história de Cameron Wolfe, um garoto de 15 anos, perdido na vida e que vive às turras com a família. Trabalha com o pai encanador e sua mãe está sempre brigando com os filhos, na pequena casa onde todos moram juntos. Steve é o mais velho e mais bem-sucedido. Sarah é a segunda, e está sempre dando uns amassos com o namorado. Rube é o terceiro e o mais próximo de Cameron. Os dois, além de boxeadores amadores, vivem armando esquemas para roubar lojas e outros locais do tipo. Contudo, os planos nunca saem do papel. Uma história sobre a vida e sobre as lições que dela podem ser tiradas. Um romance de formação que exibe um jovem incorrigível, infeliz consigo mesmo e com sua vida. - "Tento ser humano em minha escrita. Comecei a escrever porque era o caminho natural. Durante o ensino médio eu era muito introvertido. Sempre tinha histórias na cabeça. Então comecei a escrevê-las." - Markus Zusak

Capa nacional
     Cameron vive em uma família comum e leva sua vida comum a planejar e eventualmente executar alguns planos com seu irmão, Rube. Ambos são típicos perdedores. Seu pai é encanador, e sua irmã só sabe ficar aos amassos com o namorado, seu irmão mais velho é o típico irmão "bem-sucedido e esnobe" (não sei se isso é típico mas me pareceu) e sua mãe é... Bem, ela é uma mãe que quer o melhor para toda família, como a maioria. A história seria bem comum se não fosse por um detalhe um tanto inusitado: Comeron tem sonhos incomuns e todos eles são contados pelo autor ao fim de cada capítulo. No início eu estranhei. No decorrer da história eu estranhei e ao final... Bem, ao final eu me perguntei o objetivo de narrar todos aqueles sonhos (dos mais normais aos mais desconexos) e até agora não obtive resposta alguma.
     O início do livro apenas nos introduz à família Wolfe e sua rotina de sopas de cogumelo, planos de assaltos e furtos e um jogo chamado "Um soco" que Rube e seu irmão, Cameron, gostam de brincar. Mas algo muda. Quando está trabalhando com seu pai Cameron conhece Rebecca, uma doce e encantadora menina pela qual ele acha válido fazer todas as mudanças possíveis, só para estar a altura da mesma. Concomitantemente a única filha dos Wolfe tem seu namoro azedado e em pouco tempo ela termina com o namorado, levando seu irmão, Cameron, a se questionar sobre a possibilidade de, mesmo ele tendo a melhor das intenções para com Rebecca, acabar ferindo-a.

     A história é simples e o livro é realmente curto, porém é possível destacarmos diversos quotes e reflexões de fato profundas. Se você gosta de romances rápidos e até mesmo sem finais realmente concludentes (afinal este é o primeiro livro de uma trilogia, alguns assuntos tem de ficar em aberto para serem respondidos no próximo livro) este seria o livro perfeito. Um ponto negativo (além da pequena quantidade de páginas, detesto livros pequenos) são os sonhos tidos por Cameron, que, embora possam ser aproveitados de alguma forma, ainda assim são vagos e complicados,  mas não tornam o livro cansativo e também nos diverte um pouco.

INFORMAÇÕES
Páginas: 176
Autor: Markus Zusak
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528616439



Tecnologia do Blogger.