POEMA - Sem Título II





Trago eu outro poema pra vocês. Esse é mais bonito e mais especial, pelo menos pra mim. É retirado do meu livro favorito, A Marca de Uma Lágrima, do gênio brasileiro, Pedro Bandeira. O poema não tem título. 

Como eu sempre digo,quem quiser comentar o nome de um poema ou de um poeta/poetiza que queira ver um trabalho aqui no D&B, fique á vontade! Postaremos também mais sobre vida e obra dele ou dela.  (: 




Há o momento de chegada  
E o instante de partida
Quanta vida já vivi 
Quanto resta a ser vivida?

São dois espelhos quebrados
Dois vezes sete de má sorte
Já vivi quatorze anos
Quanto resta para a morte?

É fácil vê-la chegar
Em cada momento que passe
Pois se começa a morrer
No momento em que se nasce 

Estou caminhando pra morte
Não decidi meu nascer
Da morte não sei o dia 
Mas posso saber!

(Pedro Bandeira).
Tecnologia do Blogger.