RESENHA - A menina que não sabia ler

 Um livro intrigante e envolto em uma áurea misteriosa e muito bem construída, personagens interessantes e bem trabalhados e um cenário triste e forte. Com certeza um livro que merece ser lido.
 Antes de resenhar este livro eu gostaria apenas de fazer um aviso: Se você é como o Pat Peoples (de O lado bom da vida, resenha neste link) e gosta de finais extremamente fofinhos e felizes este livro definitivamente não é para você. Desista. É sério, desista. Não pelo final ser triste, mas pela decepção. O final é surpreendente, é explosivo! Eu, particularmente, me agradei muito do final, e embora eu já tivesse certa suspeita ainda assim me surpreendi.

 Florence seria uma típica menina de doze anos se não fosse por alguns detalhes: (1) ela foi proibida de ter qualquer conhecimento avançado (até mesmo o da leitura, que é visto como algo simples para nós), (2) ela aprendeu a ler sozinha e (3) ela vive isolada em uma mansão com seu irmão Giles e alguns criados. A menina é dona de uma personalidade instigante, quanto mais lemos sobre ela e suas façanhas mais interessados ficamos em conhecê-la melhor, o que é bom, visto que toda história é contada por ela.
Capa original do livro
 Para que entendamos a personalidade de Florence precisamos saber do seguinte: sua mãe e pai morreram e a mãe de seu irmão (Giles) também. Ela é criada pelo tio, ausente, o que a deixa livre para fazer sua própria rotina diária. Sua única limitação é quanto a leitura, ela é proibida de ler pelo seu tio, que faz isso depois de uma desilusão amorosa (não faz sentido? Bem, o livro explica o motivo e não irei tirar este prazer de vocês, nossos leitores).
 Dado momento da história seu irmão tem de ir estudar em Nova York (sim, os homens da família podem obter conhecimento, a proibição se aplica exclusivamente às mulheres da família) e Florence fica sozinha, ainda mais livre para se enfurnar na biblioteca de Blitch (a mansão) e passar seus dias lendo. Isso não fica assim por muito tempo.
 Theo Van Hoosier, um menino que sofre de forte asma e que vive nos arredores da mansão onde vive Florence começa a visitá-la, e aos poucos os dois se aproximam e nasce uma amizade. Florence começa a adaptar sua rotina de leitura em prol das visitas de Theo e sua amizade. Até que Giles volte da escola por não ter se adaptado ao novo ambiente e por recomendações da diretoria ele necessitará de uma preceptora.
Capa nacional

 Uma história até então normal, não é? Bem, seria, se não fosse pelo fato da Srta. Whitaker, a preceptora ter morrido estranhamente num passeio de barco no lago da propriedade. Daí em diante a história apenas melhora e entra num ritmo alucinante, nos conduzindo por diversos rumos que nos levam ao mesmo ponto: a um final espetacular! Um grande fim para um grande livro, sem dúvida!

 Quanto ao fim deste livro: há controvérsias. Não uma qualquer, uma das grandes. De fato ele não agradou a todos e muitos criticam veementemente a forma como termina a obra, mas para aqueles que criticaram (e aos que não criticaram também, assim como eu, que gostei) tenho uma ótima notícia: Ele terá continuação. Em uma entrevista o autor John Harding (entrevista disponível no blog Ler para esclarecer, que poderá acessar neste link) deixou claro que haverá uma continuação para 'Florence & Giles' (achei o nome em português uma grande jogada de Marketing), o que nos resta esperar ansiosamente! E outra coisa tão interessante quanto é que é provável que o livro vire em filme, o que é bem legal.


INFORMAÇÕES
Páginas: 282
Autor: John Harding
Editora: LeYa
ISBN: 9788562936111


Tecnologia do Blogger.